21/07/2014

“Panorama das Artes Negras: Ausências e Presenças”


“Panorama das Artes Negras: Ausências e Presenças” discute a dança negra contemporânea
Evento faz parte da Pílula de Cultura Feira Preta e faz reflexão a partir do ponto de vista de coreógrafos e bailarinos sobre visibilidade da dança negra no mercado cultural

Após uma ótima receptividade do panorama que discutiu Literatura, o evento Panorama das Artes Negras: Ausências e Presenças, volta à pauta desta vez para discutir  sobre DANÇA no dia 27 de julho de 2014, das 15h às 20h, no Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000, Sala Adoniran Barbosa). Evento integrante da Pílula de Cultura Feira Preta, o objetivo é provocar reflexões sobre qual é o espaço da dança negra contemporânea na cidade de São Paulo, sua formação de público e quem está consumindo este produto cultural e também sua relação com a mídia e o mercado cultural são os principais temas a serem discutidos. Além dos debates, o evento terá apresentações culturais de dança contemporânea com o espetáculo "Dikanga Calunga" da Nave Gris Cia Cênica, sapateado com Marcelo Costa e um cortejo afro com o Afoxé Oba Inã. Até setembro de 2014 outros temas serão abordados, como música, teatro e artes visuais.

A Pílula de Cultura é voltada para estudantes, acadêmicos, pesquisadores, artistas, profissionais da mídia e do mercado cultural e interessados, além de produtores da cena cultural e de todos que queiram ou têm interesse na temática. O evento é constituído de dois momentos: no primeiro uma mesa de debate com reflexões profundas acerca da linguagem artística do mês onde cada convidado acrescenta ao assunto seu ponto de vista e aspectos relacionados às suas pesquisas. No segundo, apresentações artísticas da linguagem discutida no evento. Após seis anos de existência as Pílulas de Cultura aprofundam as reflexões a respeito da produção cultural negra, traçando um panorama da cadeia de produção, levantando importantes questões: onde estão estas produções? Quem está realizando? Quando elas acontecem? De que forma ou formato são criadas? Que tipo de público está atingindo? Que espaços esta arte está ocupando e porque? Qual a sua visibilidade em mundo cercado de estereótipos e pré-conceitos?

Programação

15h – Inicio com a apresentação da jornalista Chis Gomes


Integrantes da mesa da Roda de Conversa Qual é o Panorama das artes Negras:
Presenças X Ausências na Dança  (Das 15h30 às 18h)



Kanzelumuka 
É bailarina (criadora-intérprete), pesquisadora e professora de dança bacharel em Dança pela UNICAMP. Pesquisa representações performáticas de origem banto no Brasil. Integrante e cofundadora da Nave Gris Cia. Cênica. Também é integrante do Grupo de Estudo Terreiro de Investigações Cênicas: Teatro, Brincadeiras, Rituais e Vadiagens (UNESP) e educadora de dança na Fábrica de Cultura do Jd. São Luís. Fez parte do elenco da SeráQ. Cia de Dança (MG) e da Cia TeatroDança Ivaldo Bertazzo (SP)

Fabiano Maranhão
Mestre em Educação pela Universidade Federal de São Carlos, graduado em Educação Física pela mesma universidade, possui pesquisas em Jogos e Brincadeiras Africanas e Afro-brasileiras, Corporeidade negra e Educação das Relações Etnicoraciais. Trabalhou como monitor/professor do Projeto São Paulo: Educando Pela Diferença Para Igualdade – vinculado a UFSCar e Secretaria da Eduação do Estado de São Paulo; também atuou como professor no curso sobre Educação das Relações Etnicoraciais no Ensino Infantil na cidade de São Carlos. Com estudos voltados a Práticas Sociais e os processos Educativos, atualmente compõe a equipe de programação do Sesc Ribeirão Preto como monitor esportivo e também a equipe do Projeto Brasil – África: Histórias Cruzadas, atuando na produção de material didático sobre história e cultura africana e afro-brasileira, vinculado a UNESCO, MEC e NEAB – UFSCar.

Gal Martins
Gal Martins é coordenadora artística da Sansacroma, companhia de dança atuante no extremo sul da cidade de São Paulo. Diretora de espetáculos como Solano em Rascunhos, Angu de Pagu e a mais recente criação da companhia, "Outras Portas, outras pontes", Gal Martins ganhou reconhecimento após diversas iniciativas que aproximam a dança contemporânea da grande população, como o projeto Circuito Vozes do Corpo, mostra de dança que acontece anualmente na periferia da cidade formando novos públicos para a dança.

Monica Costa 
Monica da Costa é bailarina, coreógrafa e psicóloga. Em 2008 iniciou pesquisa autoral em dança afro-contemporânea em parceria com o Diretor de Teatro Renato Santos, criando o espetáculo Corpo D'água. Na formação em danças afro-brasileiras têm aulas com Valéria Monã e Eliete Miranda, aulas e workshops com Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira, e passou pela Cia Étnica, de Carmen Luz. Em danças africanas fez oficinas no Rio de Janeiro com Dandara Magon, Marcel Gbeffa (Benin), Samuel Mico e Jean Fortuné de Souza (Benin-Paris). Em 2010, fundou o Núcleo de Arte Afro-Contemporânea com Renato Santos, criando dois espetáculos, realizando a Pesquisa documental "Interface da Dança Contemporânea com a Dança Afro-Brasileira" (2010/Bolsa FUNARTE) e atualmente a Pesquisa "Danças de Oxum, Iemanjá e Azili entre o Benin e a Bahia", ligada ao Doutorado em Artes Cênicas na UNIRIO/NEPAA e que conta com a colaboração e consultoria de Mourchid Moubaracq, da Maison du Patrimoine et du Tourisme de Porto Novo/Benin, onde a artista e pesquisadora esteve durante o mês de fevereiro.

Apresentações artísticas – Das 18h às 20h


Espetáculo "Dikanga Calunga" da Nave Gris Cia. Cênica
Será apresentado uma das cenas do espetáculo onde está presente a improvisação entre música e dança,  repetição de imagens criadas ao longo da obra como instauração de um tempo cíclico  e a encruzilhada através da proposição coreográfica que traz elementos de danças tradicionais afro-brasileiras e elementos de dança contemporânea.

Sapateado, com Marcelo Costa
Formado em Educação Física – PUC Campinas-SP. Pesquisou o a Dança Jazz como Exercício Físico e Qualidade de Vida. Dançou por 7 anos no Galpão 1 – Érika Novachi Grupo de Dança em Indaiatuba-SP.Especializou-se em Lyrical Jazz com sua Mestra Érika Novachi. Foi Examinador. Foi Jurado. Participou do 1º e 3º Congresso de Internacional de Jazz Dance em Indaiatuba-SP. Estudou com Professores nacionais e internacionais.Ganhou alguns prêmios como Coreógrafo. Especializou-se em Sapateado Americano com sua Mestra Christiane Matallo e integrou a Cia de Sapateado Christiane Matallo em Campinas-SP. Participa há 8 anos do Festival Internacional de Sapateado Americano onde foi Solista premiado em 2012 e 2013 com bolsa de estudos para o Brasil e USA. Integrou o elenco de New York New York – O Musical temporada 2012 e 2013. Sapateador convidado para o Evento “Caldeirão do Negão” em São Paulo-SP em 2013.

Afoxé Oba Inã
O Afoxé Obá Inã é uma instituição de promoção da cultura de matriz por meio da dança e musicalidade. Criado recentemente, o grupo musical tem como objetivo difundir a cultura dos afoxés, cortejo afro, e de outras manifestações culturais negras como jongo, samba de roda e tambor de crioula em São Paulo e no Brasil.

Pílulas de Cultura Feira Preta
Qual é o Panorama das artes Negras:
Presenças X Ausências na Dança

Dia: 27 de julho de 2014, das 15h às 20h
Local: Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro, 1000 – Sala Adoniran Barbosa (capacidade: 622 lugares)
Tel (11) 3397-4002
(próximo ao Metrô Vergueiro)
ENTRADA FRANCA
Classificação Etária: Livre

Nenhum comentário: